Quarta-Feira, 02 de Dezembro de 2020

Ministro recebe prefeito eleito de Água Boa para discutir construção da ferrovia do Centro Oeste




COMPARTILHE

Campanha eleitoral ficou no ontem. Mariano Kolankiewicz (MDB), prefeito eleito de Água Boa, no Vale do Araguaia, está em Brasília alinhavando políticas públicas para seu município. No domingo, 15, Mariano conquistou a prefeitura com 51,57% dos votos derrotando Maurício Tonhá (DEM), até então um dos maiores nomes da política no Araguaia.

Na ultima quarta-feira, 18, foi recebido em audiência pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. Mariano cobrou informações e o cronograma sobre o projeto para a construção da Ferrovia de Integração do Centro Oeste, FICO, que ligará sua cidade a Mara Rosa (GO). O resultado do encontro com Tarcísio foi o mais positivo possível.

No centro geodésico do Brasil Água Boa está a um passo do apito do trem da FICO. O ministro informou ao prefeito eleito que a obra começa em abril do próximo ano, no sentido Mara Rosa-Água Boa. Não há barreira ambiental nem burocrática para que o sonho com a ferrovia literalmente entre nos trilhos.

O ministro explicou que o licenciamento ambiental foi concedido, que o projeto básico foi elaborado e que o projeto executivo se encontra em fase adiantada. Mais: o anfitrião explicou a Mariano que a construção pode ser levada adiante enquanto o projeto executivo é formatado. Estima-se que em menos de três anos a construção seja concluída.

A ferrovia terá 383 quilômetros, 18 pontes, três viadutos e 22 áreas de recuo para as composições. Recuo é um trecho férreo onde trem que segue num sentido aguarda a passagem de outro, que viaja em direção oposta. O primeiro canteiro de obra será em Mara Rosa, onde a FICO fará conexão com a Ferrovia Norte-Sul.

O prefeito eleito adiantou ao ministro que a prefeitura lançará mão de todos os meios possíveis para qualificar mão de obra e preparar a infraestrutura de responsabilidade da esfera municipal, para acesso ao futuro terminal de embarque, ao lado do qual a cidade ganhará importante polo agroindustrial.

Nesse sentido, Mariano conta com o apoio do deputado estadual Dr. Eugênio, que é domiciliado em Água Boa, e do vice-governador Otaviano Pivetta, que é um dos defensores da melhoria e diversificação da matriz de transporte mato-grossense. O senador liberal Wellington Fagundes, que preside a Frente Parlamentar Mista de Logística, Transporte e Armazenagem (Frenlog) acompanhou Mariano, que cumpriu outras agendas em Brasília.

FICO – o trecho de 383 quilômetros entre Mara Rosa e Água Boa via Cocalinho será construído pela mineradora Vale, ao custo de R$ 4 bilhões. A Vale foi compensada com as concessões das ferrovias do Carajás (Pará e Maranhão) e Vitória-Minas (Minas Gerais e Espírito Santo) até 2057 – o contrato em vigor terminaria em 2027. Depois de construir a FICO, a Vale a devolverá à União, que licitará sua linha ao setor privado, com outorga a ser definida.

O projeto da FICO prevê a construção de 1.600 quilômetros ligando Mara Rosa a Rondônia via Água Boa e outras cidades mato-grossenses. É praticamente a mesma extensão da Ferrovia Rumo ALL que liga Rondonópolis ao porto de Santos, com terminais intermediários. O restante da FICO, entre Água Boa e Rondônia, com mais de 1.200 quilômetros sequer é discutido pelo governo.

COMPROMISSO – Em campanha pela prefeitura Mariano prometeu criar um programa habitacional municipal para construção de moradias. A meta do prefeito eleito é zerar o déficit habitacional em seu município, que tem 26.200 habitantes, e assegurar casas para os moradores que chegarão à cidade em razão do previsível crescimento em razão do apito do trem.


Autor:Eduardo Gomes com A Boa Midia


Comentários:
O Jornal do Carajas não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal do Carajas e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias