Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019

Esposas de PMs do Pará iniciam a desocupação de batalhões após 12 dias de protestos




COMPARTILHE

O grupo de esposas de policiais militares que estava ocupando o 2° Batalhão da Polícia Militar na rua Assis de Vasconcelos, no centro de Belém, começou a deixar as dependências do quartel na tarde desta sexta-feira (7). De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do estado (Segup), as manifestantes serão recebidas em uma reunião no início da noite com o governador Helder Barbalho.

As esposas de PMs estão ocupando o 2º Batalhão da polícia há 12 dias. Elas pedem melhores condições de trabalho e segurança para os policiais militares. As mulheres tinham furado pneus de viaturas e estavam impedindo a saída de policiais para o trabalho. Outras ocupações também foram registradas nos municípios de Ananindeua, Castanhal e Abaetetuba.

De acordo com o Governo do Estado, a desocupação dos batalhões foi uma condição imposta pelo governador para a reunião ocorra. Durante o encontro, Barbalho e toda a cúpula de segurança do estado devem ouvir as reivindicações das manifestantes e oferecer propostas.

Primeira reunião - Este não é o primeiro encontro entre as manifestantes e o governador Helder Barbalho. No dia 29 de maio, o encontro entre as parte terminou sem acordo. De acordo com as esposas, o governo informou que só iria discutir os termos solicitados se as manifestantes liberassem o 2º Batalhão da PM. Porém, a Polícia Militar disse que o movimento quebrou um acordo feito com um Estado durante a reunião e por isso o governador decidiu encerrar as conversas temporariamente.

Apesar dos protestos, o Governo do Estado informou em nota que o policiamento nas áreas patrulhadas pelos batalhões ocupados não foram prejudicados. Viaturas do Comando de Missões Especiais e do Comando de Policiamento Especializado supriram as rondas e garantiram um efetivo ainda maior do que o empregado rotineiramente.


Autor:Redação AMZ Noticias


Comentários:
O Jornal do Carajas não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal Do Carajas Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal Do Carajas